Pesquisa
avançada
12782 joguetes

Ah. Kinjite, Forbidden Subjects.

Esse trailer não dá nem noção da obra de arte que é esse filme, mas pelo menos tem o Charles Bronson interpretando com entusiasmo naquela hora em que ele diz "Everybody! On the floor! Now!" E o cara chama ele de Tiarls Bronson. Tu vê só como são as coisas.

Kinjiteeeeeeeeei.

Kinjite - America Video Kinjite - America Video

Conhecido no Brasil como Kinjite, Desejos Proibidos, esta obra de 1989 distribuida pela PARIU filmes (subsidiaria da America Video, dos filmes que arrebentam a boca do balão e explodem feito dinamite, uma distribuidora que só publicava maravilha e contava com títulos do naipe do Braddock o Super Comando e do American Ninja) talvez seja o melhor filme do mundo. Estrelado pelo Charles Bronson quando ele tinha apenas 68 anos, ainda no auge de sua agilidade, este filme conta a história de um tira durão que às vezes precisa passar por cima das regras para fazer PREVALECER a justiça em um mundo SÓRDIDO DOMINADO por cafetões e traficantes DO MAL e por japoneses estrangeiros safados que querem comprar o país, devastando o sonho americano ou algo assim, sei lá. Só sei que é um dos melhores filmes do mundo mesmo. Só não é o melhor porque existe Death Wish 3 e Dirty Harry, mas o Charles Bronson, porra, que ator, meu Deus. Que ator.

E é GOLAN-GLOBUS, meu. Golan-Globus só fazia arte.

GOD GOD

Senão vejamos. Não tem um minuto de filme desperdiçado aqui.

Começa com uma música SINISTRA e, durante os créditos, um taradão abre uma maletinha de equipamentos sexuais contendo vaselina e um vibrador rústico de madeira, preparando-se para sodomizar uma jovem menor de idade indefesa forçada à prostituição pela mesma sociedade que obrigou o amigo do Rogilio a ir pra cadeia por roubar senha de banco na internet. Como assim? Assim: o amigo do Rogilio espalhava vírus spam no computador dos outros pra roubar senha de banco. É, era ladrão e foi preso. Mas a culpa não era do cara. Segundo uma considerada filósofa, jornalista e artista AMIGONA do baú de jogos, a sociedade, com seu incentivo total a ter que possuir coisas para se sentir bem, é a culpada, por dar mais valor às aparências do que não sei bem o que, que não me lembro do log hilário da conversa do Corongo com ela. Vou ver se acho e colo ali nos comentários depois. Vamos à arte.

  • amarrando a prostituta indefesa de 30 anos, praticamente pedofilia amarrando a prostituta indefesa de 30 anos, praticamente pedofilia

Eis que a música muda para uma TRILHA policial EMPOLGANTE DE DISCOTECA e, cruzando as ruas noturnas de LOS ANGELES, a camera nos mostra, em seu carro, Charles Bronson de tocaia pronto para acabar com todos os MALFEITORES DO UNIVERSO, acompanhando de seu parceiro gordão e certinho que secretamente aprova os seus métodos de justiça.

  • Charles Bronson e seu parceiro Gordinez Charles Bronson e seu parceiro Gordinez
  • Aquela prostituta com cara de MILF parece de menor pra mim Aquela prostituta com cara de MILF parece de menor pra mim
  • Charles e Gordinez chegando no hotel Charles e Gordinez chegando no hotel

Ao ver que esse CRIME HEDIONDO está em progresso em sua jurisdição, Bronson invade o hotel dando porrada em todo mundo, começando pelo porteiro indiano.

indiano safado indiano safado

ATÉ PARECE que ele não vai liberá informação pro Charles Bronson. Filho da puta. Indiano de merda. Midnight Shayamalan.

toma isso, seu midnight shaymalan de merda toma isso, seu midnight shaymalan de merda

Cara, olha só. Apenas quatro minutos de filme e o Bronson chega arrombando a porta pra dar porrada. É, o trailer é meio enganoso e faz pensar que o filme é parado, mas é ação do início ao fim e só cena artística, um roteiro simplesmente genial:

  • SBRASH SBRASH
  • meliante pego em plena pedofilia MILF meliante pego em plena pedofilia MILF

O criminoso DESRESPEITA a autoridade do Bronson e paga por isso na hora, como DEVERIA SER NO MUNDO REAL e o é apenas na delegacia do Prates:

  • O QUE? O QUE?
  • charles soqueando o cara charles soqueando o cara

Depois de levar umas boas bochas, o cara se acobarda e tenta usar o cabide como arma:

Charles analisa a situação por alguns segundos:

E o que acontece?

PORRA!

GOD GOD

Não, peraí, deixa eu repetir:

GOD GOD

Seis minutos de filme. SEIS MINUTOS! O Bronson cagou o cara a pau, largou no chão, pegou o vibrador rústico e METEU NO cu DELE! O parceiro do Charles leva a mulher embora pra não presenciar a cena, a tela fica escura e tu só ouve os berro do magrão sentindo o PESO da justiça do Charles Bronson. Cara, que arte.

QUE ARTE! Depois os filho da puta me vem com Tropa de Elite é violento. Au, cabo 02, me vê aquele cabo de vassoura. Cabo de vassouro o Meu Pau de Rayban! Tá aqui ó: 1989, o Charles Bronson mostrando como é:

Charles Bronson usando armamento LETAL Charles Bronson usando armamento LETAL

Só seis minutos de filme e já foi toda essa arte. O cara nem acredita em como pode ficar melhor, mas a verdade é que só melhora.

E por falar nisso, olha esses policial boiola do Tropa de Elite. Capitão Nascimento, ui ui ui. Fica tomando remedinho e gritando com a mulher e choramingando porque seu trabalho é muito pesado. Tá deprimidinha o capitão Nascimento, vai no psicólogo da tropa de elite, do bópes. É. No psicopedagogo. Garanto que no Tropa 2 ele vai botar o filho num colégio que tem psicopedagoga. A cena seguinte de Kinjite exemplifica como o verdadeiro policial dos anos 80 reagia.

Bronson, em casa, falando com a mulher, cogita a possibilidade de ter exagerado um pouco ao enfiar um VIBRADOR RUSTICO DE MADEIRA no cu de um bandido. Mas a mulher dele dá-lhe a real, que ele só agiu de maneira EXPERIMENTAL e fica tudo bem, acabou o drama, seus filho da puta. É um filme profundo, na verdade. Isso aí é filosofia de vida.

Bah. E é mesmo. O Clint Eastwood tem razão ao dizer que o mundo foi dominado pela Pussy Generation. Sabiam que o livro O Caso dos Dez Negrinhos da Agatha Christie mudou de nome nas edições mais recentes, passando a se chamar Não Restou Nenhum? É. Não pode negrinho no título. É...

The novel was originally published in Britain under the title Ten Little Niggers in 1939. All references to "Indian" in the story were originally "Nigger": thus the island was called "Nigger Island" rather than "Indian Island" and the rhyme found by each murder victim was also called Ten Little Niggers rather than Ten Little Indians. Modern printings use the rhyme Ten Little Soldiers and "Soldier Island".

Por falar nisso, durante uma consulta alguns anos atrás com o Dr. Kurtz, o dentista nazista, o bom cirurgião refugiado da alemanha, que na época ainda não tinha sido vítima da apoplexia e contava com os movimentos de seus dois braços, mostrou o rascunho de sua obra "A Cura da Depressão em 3 Passos", que são:

1 - Comer um bauru

2 - Beber um copo de vodca

3 - Ver um filme do Charles Bronson, Chuck Norris ou Stallone

Obviamente que basta executar um dos três passos para se livrar da doença. Nos casos mais sérios, recomenda-se executar mais de um ou todos. Nos casos EXTREMOS, existe um passo 4, que consiste em COMER UMA MULHER. No tratamento de choque o cara faz tudo ao mesmo tempo, come um bauru bebendo vodca vendo filme enquanto a mulher fela. Diz o Dr. Kurtz que isso cura até homossexualismo, porque o Dr. é antigo, é da época que homossexualismo era considerado patologia na Classificação Internacional de Doenças. horror. Obviamente não é a minha opinião nem a do baú de jogos. Cito isso apenas para mostrar como funcionava a mente do Dr. Kurtz.

Obviamente também, esses passos não funcionam com mulher. Aí tem mais é que tomar remedinho mesmo.

Passo a palavra ao meu considerado Luiz Carlos Prates:

"Foi o seguinte, num certo dia destes, a Ana Maria Braga discutia no programa dela sobre crianças que ora estão emburradas e ora insuportáveis. Quando os adultos se comportavam do mesmo jeito no passado, o catálogo de doenças da Organização Mundial da Saúde dizia que elas sofriam de psicose maníaco-depressiva. Forte, não é?

Tão forte que um dia um parvo trocou o nome da moléstia — ou da característica de personalidade desses tipos — deu-lhe o nome de bipolares.

Hoje o sujeito que sobe e desce num humor oscilante é chamado de bipolar. Prefiro a velha expressão: psicose maníaco-depressiva, até por que bipolar é tudo na vida. O universo é organizado pela bipolaridade complementar. E fizeram a mesma coisa com criança mal-educada, passaram a chamá-la de hiperativa.

Mas a questão é outra. Nesse programa da Ana de que falo, uma menina, de uns 10 anos, diagnosticada como "bipolar", dizia com a maior seriedade à apresentadora que "a medicação está mudando a minha vida..."

— Ah, criança, não me diga isso, isso é frase de mulher já bem vivida, frase de mãe que vive tomando remédio para tudo quando de remédio não precisa. Precisa, isso sim, de vida, de um novo marido, de coragem, de ousadias existenciais.

As pessoas não querem ver suas verdades e criam, desenvolvem, doenças. Dando por doentes precisam de remédios, e aí fica tudo em paz nessas cabeças, já que elas pensam que estão doentes, só pensam. Mais das vezes são fortes como o Vento Sul.

Do que mais as pessoas precisam é de olhar a vida nos olhos, enfrentá-la, puxar a máscara dos seus fantasmas Como não têm coragem, adoecem, adoecem de ficção. Tem cabimento uma menina dizer que "a medicação está mudando a minha vida", tem cabimento? Ela ouviu isso da mãe dela, pobrezinha da menina. Mas imitando a mãe se torna ridícula. Raros precisam de soníferos, de antidepressivos, de ansiolíticos. Do que as pessoas precisam é de coragem para ver os seus fantasmas, enfrentá-los e mudar de vida."

Minha coleção de moda inspirada em Olhares de Tóquio Minha coleção de moda inspirada em Olhares de Tóquio

Agora a próxima cena de Kinjite se passa em Tokyo, numa VIRADA completamente inesperada o filme introduz todo um novo plot engraçado pra caralho em que um SALARY MAN gozadão é obrigado a passar o tempo longe de sua família, entretendo clientes nos Oral Bar e comendo prostitutas para poder firmar bons negócios para a sua companhia.

Além disso, como todo bom Salary Man, ele lê mangás hentai, o que a mulher bizarra dele não consegue entender, já que esse é um passatempo completamente normal no japão, tão normal quanto apalpar mulheres nos metrôs (segundo Kinjite).

A seguir Bronson está assistindo um futebol, comendo um cachorrão, quando encontra no estádio o traficante Duke, responsável pela prostituição da cidade. Obviamente, ele decide por bem esfregar um cachorrão na cara do vilão.

  • Toma o que te mandaram! Toma o que te mandaram!

No Japão, vemos mais uma cena normal do dia a dia: a apalpação de mulher no metrô:

O Salary Man que testemunha,é claro, vai ir morar nos Estados Unidos na sequencia desta linda película. Qual a explicação da cena? Tá aqui:

É, segundo Kinjite, o Japão é um país de bárbaros.

Enquanto isso, Bronson decide dar mais uma lição no mesmo traficante do cachorrão. O que esse cara apanha durante o filme não é brincadeira, leva tanto pau quanto o Scorpion no Dirty Harry.

O traficante tá andando tranquilo, comprando porcarias, e tá voltando pro carro dele.

Quando ele entra no carro...

opa opa

TROOOOOOOOOOOSH!

MEU DEUS, que interpretação! Que cena!

Deixa eu repetir:

opa opa

GOD GOD

Vejam como muda a expressão do cara:

Bronson obriga o marginal a dirigir pra um terreno baldio. Lá o cara se intimida, começa a sentir a pressão e decide tentar subornar o Charles Bronson oferecendo o relógio de diamante.

Maior erro da vida dele.

m(__)m

SIM! 27 minutos de filme! O Charles Bronson fez o cara comer o relógio! Grande pra caralho o relógio!

Puta merda, se isso não é arte, eu não sei o que é. Porra, se tu é pai, meu, se tu tem filho de 10 anos, tá aí. Põe pra assistir os filme do Charles Bronson. Ajude o mundo a voltar aos eixos.

VAI TER QUE METER A CARA NO cu PRA VER AS HORAS, FILHO DA PUTA!

Como se não bastasse toda essa supremacia, Bronson sai do carro levando a chave e calmamente começa a juntar uns pedaço de papel.

E risca um fósforo e põe fogo no carro do cara na maior!

PUTA QUE OS PARIU, o que vocês tão fazendo aqui ainda? Vão ver esse filme.

Auuuuuu, Batman dark nights, auuuuuu, uótchmens. Então tá. Depois o errado sou eu.

É ASSIM QUE SE FAZIA FILME NOS ANOS 80!

Assista a cena completa aqui:

Que filme, meu Deus!

Que filme!

E isso foi só a primeira meia hora. O negócio fica cada vez melhor até um final sensacional.

Festival de Cannes o meu caralho. Cuentin Tarantino e seus filmes de mulherzinha cheios de mumumumumu. Elaia Rothsssss. Auuuuuu. Bando de EMO! Esses três gênios são os maiores cineastas de toda a humanidade:

E fim! FIM! Como tu pode reclamar da vida com esse tipo de obra de arte no mundo?

Os melhores atores, melhores trilhas sonoras, melhores cenas de ação, direção espetacular e roteiros perfeitos com explosões e filosofia.

Bah.

Aperta play aí, desgraçado. Presta atenção na música. É o melhor filme do mundo, não tenho dúvida:

Bom, até a semana que vem. Estou preparando um yellow Movie imperdível.

leia mais Retarded Yellow Movie of The Week

Últimos jogos vistos

tu se acha o ardcór das parada?