Pesquisa
avançada
12787 joguetes
  • Windows
  • 1997
  • 4 CDs
  • 1
  • 3D
  • olhando pela sacada com o BLUES tocando. sério.

  • cachorro do magrao

  • ampliando foto

  • ampliando mais

  • falando com a vadia cibernética

  • interface com fotos dos suspeitos ROBÓTICOS

  • mapa com alguns dos lugares

  • aterrisando o carro com efeitos de LUZ

  • correndo feito um alucinado

  • veja que capa, MEU DEUS, que capa

  • que coisa mais bela, HEIM?

Este adventure é legalzinho e ACREDITO que foi um dos ultimos lançados antes do FIM desse gênero & sua transmigração em arcade ADVENTURES.

Tu controla um Blade Runner INICIANTE pela tela e teus comandos se resumem a clicar nas coisas e clicar nas pessoas, clicar no cenário para andar, clicar no cenário duas vezes para correr e apertar o botão direito pra ativar a arma. É, é UMA INTERFACE SIMPLIFICADA, fsdfdsfsdfs. Claro que tem certas partes em que tens que andar de carro voador, usar o computador e algumas outras aleatoriedades, como aquele AMPLIADOR BIZARRO DE FOTOS que tinha no filme, que faz coisas fantásticas, como encontrar uma pessoa escondida atrás de um objeto que está em primeiro plano na foto como se pudesse entrar lá dentro com uma camera e passar pelo objeto. Tem bastante disso e apesar da idéia ser besta, é algo fiel ao filme e é divertido. E também podes mandar ver no teste Voight-Kampf, com perguntas parecidas com as do livro, mas é claro que se os replicantes tiverem chance, vão fugir de ti antes de tu poder ENGAJAR no negócio, que eles não são manolo.

Os gráficos e animações e sons são excelentes pra época, bem fieis ao filme, e além de ser baseado no filme, também é no livro, por isso, pelo fato do autor seir MEIO QUE COMPLETAMENTE ESQUIZOFRÊNICO, tem uma parte que o mundo muda de uma hora pra outra.

MÃS vamos ver, a história começa com TU investigando mortes de animais, e quem LEU O LIVRO sabe que na época isso é um CRIME HEDIONDO, e o que diferencia mesmo humanos de replicantes é a empatia por animais ou algo assim.

Mas tá bem, depois tu se depara com uns replicantes NEXUS 6 que roubaram uma nave e vieram pra terra e tal. (Pra fodanchar legal, a história se passa em paralelo com a do filme e alguns personagens são os mesmos, e podes em algumas partes VISLUMBRAR as passagens do Deckard, como no MERCADO onde ele pode ser visto ao fundo misturado às pessoas perguntando sobre escamas de cobra.) As músicas também são as do filme, mas com qualidade CHISMOSA. Se é que vocês me entendem, estou fazendo cada vez menos sentido ultimamente.

Apesar da interface simples, o jogo é bastante enganoso: tem muita coisa que podes fazer e que nem suspeitas, basta encarar como arcade para descobrir caminhos completamente novos (por exemplo, quando te jogarem alguma MERDA, clica alucinadamente num canto da tela e foge). E quando os REPLICANTE vem te matar, tu pode, em vez de mandar chumbo neles, guardar a arma. Claro que a reação do magrão normalmente é mandar chumbo, que eles vem ameaçador e tu já pega a arma automatico, que é pra te induzir a explodir umas cabeça, mas se guardar, vai rolar AMIZADE COM OS REPLICANTES e te botar contra a PULICIA.

Entre os detalhes EXTRAS, este jogo conta com várias cenas e acontecimentos aleatórios, bifurcações e até as pessoas que são replicantes ou humanos mudam de um jogo para o outro, numa tentativa de aumentar o, auuu, replay value. Claro que não adianta muito, nem o fato do jogo ter seis finais, que apesar das aleatoriedades e desse negócio dos replicantes mudarem ser legal, o resto, os diálogos e a maior parte do jogo, são repetitivos. E além de tudo o jogo tem alguns bugs BESTAS PRA CARALHO que INDICAM falta de teste.

Mesmo assim é bem divertido e vale a pena jogar uma vez. Os cenários e animações e efeitos de luz são mesmo muito bons e impressionantes pra um jogo de 1997, sempre com a tela toda ocupada, sem interface pra atrapalhar o visual. Gostei e concedi dois polegares estendidos.