Pesquisa
avançada
12918 joguetes

Life and Death 2: The Brain

  • PC DOS
  • 1990
  • Fita cassete
  • 1
  • WorldMap

  • Paciente deitadinha esperando pra ser examinada

  • Examinando reflexos, força e sensibilidade em membros superiores

  • Furei o olho do paciente com a agulha. Dá pra examinar um monte de coisa nessa tela.

  • Preparando pra começar a operar

  • Fazendo a incisão

  • Estancando sangramento

  • Couro cabeludo aberto; preparando o drill pra abrir o crânio

  • Isso que dá quando o paciente morre

A continuação do Life and Death original.


Neste jogo, és um cirurgião especializado em Neurocirurgia. É um jogo muito mais realista que o anterior, muito mais detalhado e complexo, o que acrescenta na jogabilidade e diminui a perseverança, por vezes.


Como no anterior, é dividido em dois momentos principais - o clínico e o cirúrgico. Tudo começa com uma aula teórica muito simples, que segue com uma visita pelo hospital. Vale bastante a pena dar uma passadinha nos centros de imagem para se acostumar com as mesmas, para ter uma noção melhor de como um tumor ou aneurisma vai alterar o quadro normal. Também existe um manual de exame físico, que permite que o LEIGO tenha noções básicas boas o suficiente para o jogo.


Após esse início meio academico, tu recebes pacientes, um por um. Por algum motivo estranho, já que nunca tens mais de um paciente simultaneamente, o hospital tem quatro quartos. Vais até o quarto desejado e encontras o paciente deitadinho te esperando. Como na versão anterior, primeiro tu lê o prontuário, depois tu examinas (e tens que realizar o exame completo toda vez! haja paciência), podes pedir exames (infelizmente só tem exames de imagem, acho que os outros ficariam complicados demais) e fechas o diagnóstico. Algumas vezes tu escolhes alguma medicação pra alguma doença, outras encaminhas. O lado clínico é bem tranquilo, uma vez que atendes um determinado caso uma única vez, dificilmente vais errar essa doença de novo.


Uma vez superado esse estágio, podes começar a te focar nas cirurgias. São três, e, para ser bem sincero, só consegui realizar a primeira, a cirurgia de hemooragia subaracnóide causada por traumatismo craniano - realmente o procedimento neurocirurgico mais comum - , embora muito tenha tentado fazer a segunda, a neurocirurgia oncológica. A terceira, o aneurisma cerebral, é muito dificil, e tens que ser mestre para fazer.


O grau de detalhamento do exame físico é muito superior ao do primeiro jogo, mas ainda falta. Nesse aspecto é realista até demais: geralmente, um cirurgião se preocupa muito pouco com o lado clínico do paciente. Porém o detalhe cirurgico, pelo menos para meu ponto de vista, é muito grande. Como no anterior, tens que te preocupar com detalhes como sangramento da pele, calor da furadeira (que é contido, como no mundo real, com água), problemas anestésicos (faz muita falta um anestesista! A parte anestésica não chega a ser dificil, o problema é que tem uma bolsa só de sangue e tu tem que ficar o tempo inteiro se certificando que tá tudo bem... maior causa de morte dos meus pacientes é um problema não-técnico, como falha renal, etc), tudo. Cada cirurgia tem seu procedimento e equipamento muito especificos, tirando pela primeira, que é mais simples, já que não envolve craniotomia completa, e sim apenas um furinho no crânio pra drenar o hematoma. As outras demandam coisas como craniotomia, ecografia trans-cirurgica para verificar onde está o tumor, microscopio, pinças complicadas...


No final, é um jogo muito bom mesmo - mas duvido que alguém que não seja de neurocirurgia possa se divertir por muito tempo. Sério, que jogo nerd! Deve ser por isso que não tem nem artigo na wikipedia. Acho impressionante que o criador, um médico oncologista, possa ter tido a idéia de que o jogo teria boas vendas. Hoje em dia tem jogo de cirurgia pro Nintendo DS e pro tal do nintendo Weed, mas não gostei, é muito fantasioso. Ainda bem que pros nerds da medicina fizeram esse jogo.


Um polegar estendido recoberto por luva cirúrgica.