Pesquisa
avançada
12787 joguetes

Jogo recentemente visto:

Nioh

Resident Evil 5

Biohazard 5

BAIOHAZADUUUUSRO BAIBU

  • Playstation 3
  • 2009
  • Blu-ray (auuu)
  • BLUS30270
  • 2 Internet Simultâneo
  • 3D
  • lutando com um afro americano nesta imagem gentilmente cedida pela IGN

  • aqui

A Capcom entende e domina como ninguém a mente de seus clientes. Meu Deus, que domínio, que técnica, meu Deus!


Compreendam:


1 - Este resident é o mesmo esquema de jogo do 4, que foi o melhor de todos, um arcade quase perfeito. Mudaram alguns detalhes para aperfeiçoar, na boa e velha técnica champion edition.


2 - Aqueles mongolinos retardados que ficam reclamando que o jogo perdeu o, auuuu (tenho NOJO, NOJO até de escrever isso) a atmosfera assustadora (puta que pariu, bando de EMO do caralho que se assusta com buzina de carro) e não é mais resideeeeeeeent eeeevil, auuuu, a Capcom simplesmente ignorou, com a consciência de que esses idiotas vão comprar o jogo de qualquer modo, apesar de continuarem chorando. Afinal este e o 4 são bem MELHORES mesmo que os velhos e não tem como negar isso, tornam os velhos praticamente injogáveis (como se já não fossem). O que é aquele Code Veronica? Que joguinho chato.


3 - O quatro era excelente mas era muito longo. Claro que o jogo ser longo é uma vantagem pro jogador, que se diverte muito mais. Mas a Capcom não é burra de ficar fazendo jogo sem parar e por isso este não tem nem a metade do tamanho do 4. O produtor, TAKEUCHI-SAAAAAAAAAM, num momento de esperteza em uma festa do sakê num Oral Bar deu a real pros programador da obra: seus burro da porra, não precisa fazer jogo tão grande, vamos só cumprir burocraticamente com nossa função.


4 - Jogos online estão na moda, por isso esse jogo é SEMPRE DE PARCERIA ao mesmo tempo, dois bonecos na tela. Ao menos a inteligença artificial do segundo boneco é a mais decente já feita até o momento no modo 1 jogador. E esse modo on-line permitirá situações variadas que farão as pessoas ignorarem o tamanho muito menor do jogo, explica TAKEUCHI numa entrevista exclusiva para o bauru, cedida durante a desgustação de um sushi com molho de bacurinha. Psicografada.


4.2 - Rola também hi-score online pro modo Mercenaries. (Bah, online me lembrou agora aquela bomba do Resident Outbreak.)


5 - Esqueci o que eu ia escrever aqui. Talvez eu fosse mencionar algo sobre o modo de passar itens entre os jogadores ou um ter que salvar o outro quando tá morrendo ou o fato do inventário ser acessado durante o jogo, sem pausa, para maior emoção, mas francamente, review informativo é coisa de gente deselegante.


6 - Kenichi Ueda, diretor, numa reunião num Oral Bar, mandou essa brilhante idéia pro resto do staff: "Em BAIOHAZADUUUUSRO FÔ (Resident Evil 4 em japonês) o jogador devia matar espanhóis com tiros de espingarda na cara, o que gerava um prazer indescritível no indíviduo segurando o manete. Como todos sabem e pesquisas comprovam, não há quem nunca tenha desejado sair por aí matando indiscriminadamente (!) espanhóis ou negões. Portanto sugiro que em BAIOHAZADUUUUSRO BAIBU (Resident Evil 5 em japonês) o jogador surja na África matando todo mundo, homens, mulheres e crianças! A diversão será estupenda!"

Obviamente, no mesmo instante TAKEUCHI-SAAAAM, gritou-lhe:

"Está maluco! Seu porco sodomita! Isso é... isso é RACISMO! Seu... seu... NAZISTA! esparta! Que espécie de ANORMAL desejaria sair por aí atirando em afro-americanos indiscriminadamente? Já não basta os problemas que tivemos que enfrentar ao incluir 1 (hum) zumbi negro em BAIOHAZADUUUUSRO ATCHOO (Resident Evil 2 em japonês) e um transformista em BAIOHAZADUUUUSRO CODU BERONIKU ECUX (Code Veronica em japonês)?"

Um progamador que não desejou se identificar, com as ceroulas na cabeça, interveio:

"NANIIIIIIIIIIII!? Não são afro-americanos. Se eles estão na África não seriam simplesmente africanos?"

"Saia da minha frente, seu cão herege, e mate sua família! Afro-americanos, como o mundo CONHECE, é a forma politicamente correta de se referir a individuos negros. Assim como todos nós somos nipo-americanos. É uma pena, o cenário da África permitiria brilhantes demonstrações dos efeitos de luz dos consoles da PRÓXIMA GERAÇÃO. Infelizmente tenho que rejeitar esta idéia racista de Ueda-SAAAAM, para evitar um processo."

Para resolver este ponto delicado da trama, Kunichizão sugeriu:

"Basta dizer que os negões, digo, os afro-americanos, estão todos contaminados por LAS PLAGAS e viraram monstros! O mundo está preparado para atirar em monstros e essa foi a desculpa que utilizamos em BAIOHAZADUUUUSRO FÔ."

"NUNCA! Afro-americanos se ofendem mais fácil que espanhóis!"

"Nesse caso sugiro que o segundo jogador seja uma personagem afro-americana! Se o jogador controlar um afro-americano que mata outros afro-americanos (que na verdade são monstros), nosso jogo não poderá ser considerado racista! Obviamente o personagem principal ainda será um herói branco retirado da parte 1 para atrair os fãs antigos, depois que meu projeto inicial dele ser um albino de cabelo rosa que fala como o Raiden daquele jogo da companhia rival ter sido rejeitado. E também podemos incluir o legendário ALBERT WESKER para que os fãs surtem de emoção e não percebam o tamanho reduzido do jogo!"

"UEDA-SAAAAAAAM! Você é um gênio! Atenção, CAPCOM STAFF: todos para minha casa! Vamos fazer um gigantesco bukkakke comemorativo!"


7 - Pausa para o almoço.


7b - Como de algum modo inexplicável o mundo EMO em que vivemos parece não apenas aceitar como admirar o Kojimão fazendo cutscenes de três horas a cada dez minutos de jogo nos Metal Gear Solid, a Capcom decidiu por bem fazer vários cutscenes no meio do jogo, com gráficos feitos em tempo real para demonstrar todo o poderio dos consoles (com PEQUENOS retoques pré-processados que com certeza ninguém vai perceber, de tão sutis, que não fazem nem mudar completamente a iluminação da cena). Pelo menos nenhum passa dois minutos e nem se compara a hediondez do Kojimão.


Mererece um polegar estendido, apesar de ser muito mais curto que o 4. Pelo menos tem mais MERCENARIES.

Já o save foi a coisa mais grotesca que já vi na vida. E olha que já vi muito design FAIL em videogame. Um save só. Não pode duas pessoas jogar direto na mesma máquina. Tudo bem que quem tem Playstation 3 não tem amigos, mas e minha mulher inflável como fica?


Review em uma linha: Igual ao quatro só que menor e com gráficos de cinema e dois jogador ao mesmo tempo sempre e se tu acha isso racista te mata aí, Ítler.


Faço aqui um adendo ao review porque tem muita gente (gente? não valem o ar que respiram, segundo Paulo Francis) dizendo que preferiam que o resident evil voltasse a ser como no início, com puzzles e em locais menores.

Claro está que esses caras não viam que os puzzles dos jogos antigos (todos os que foram feitos antes do resident 4, que foi a partir de onde começaram com essa difamação) eram meros elementos artificias colocados pra fazer o jogo durar mais, porque a tecnologia não permitia cenários grandes e os caras tinham que fazer o jogador ficar dando voltinha atrás de item pra coisa durar bastante e não acabar em 10 minutos.

Dizem que os jogos antigos eram mais inteligentes por causa desses puzzles.

Burrice. Rematada burrice.

SENHORES, esses puzzles consistiam em, francamente, ir buscar uma chave quadrada pra encaixar na porta quadrada, a chave-triângulo pra encaixar na porta-triângulo. Era coisa nível teste de encaixar mesmo, daqueles de pré-escolar. Não tinha dificuldade, não tinha graça, era claramente embromação. Era jogo de zumbi, porra, não era jogo de ficar encaixando pecinha.

Mas ok. Querem puzzle?

Então sugiro que façam puzzles estilo The Castle ou Eggerland Mistery no meio do próximo Resident Evil. Quero só ver. Os mesmos caras vão chorar. Vão chiar, "auuu, é difícil demais, é impossível, é obscuro". Não queriam puzzle? Pois que façam puzzles inteligentes, quebra-cabeça mesmo e não fetch quest enchedora de linguiça. Quero ver botar puzzle The Castle ou até coisa do nível do Alone in the Dark original no Resident Evil. Não ia ter jeito. Os caras iam ver nunca mais iam chegar perto.

Bando de reclamão mongol. Resident Evil 4 salvou a série. Consertou o jogo.