Pesquisa
avançada
12782 joguetes
  • Windows
  • 2010
  • DVD
  • 1
  • 3D
  • m(__)m

  • é da mansão?

  • tem pau de fogo aí do lado?

  • Yo, yo, dogs out to chase these cats, in the jungle

  • Rats wanna snatch that cheese, in the jungle

  • Bears want honey from bees, in the jungle

adventure no estilo dos antigos jogos da sierra, dos mesmos autores do gabriel knight, que me convenceu de que os adventures tem mais que estar mortos mesmo, parem de tentar ressuscitar esse tipo de jogo, já não me basta aquelas palhaçadas dos sam e max e monkey island novos e vendidos aos pedaços.

Vamos primeiro proceder à uma análise briônica do jogo em si, digo PERCY (gostaram da minha colocação estúpida de crase antes do artigo indefinido feita especialmente para que os analfabetos funcionais que compõem a maioria de nossos fãs se sintam em casa?):


- gráficos: muito bons e tudo. ao menos os cenários são animados e cheios de efeitos de luz e sombras. exige widescreen.

- animações: as da personagem principal são excelentes. o resto não existe. quando uma pessoa sai da sala, recorrem ao FADE, em vez de fazer animação de porta. sempre.

- músicas: repetitivas, chinelas e EMO, como não poderia deixar de ser. vão agradar a gordinha gótica que existe em você, VOCÊ. são cantadas por uma moça vestida de preto e com olhar TRISTE e com um queixo duplo levemente saliente. ___ _/_ _|_

- controles: use o mouse que nem no gabriel knight 2 e era isso, só que pode clicar duas vezes pra correr, que nem no blade runner e no jogo do PERRY RHODAN.


Agora a história em si, digo, PERCY, e os puzzles:

Gabriel Knight 2 já era incrivelmente pior que o 1. O GK 3 então era hediondo e tinha alguns dos puzzles mais imbecis da história. Agora neste a autora segue a seguinte filosofia adaptada a nossos tempos de enem e Dilma:

"You can't overestimate the stupidity of the mass market. Anything that's going to be popular will have to be really simple and really entertaining, and I'll strive for that in the future." (fonte: http://www.escapistmagazine.com/articles/view/issues/issue_116/2272-The-Escapist-Interview-Jane-Jensen.3 )

Ok.

Acontece que essa gordinha é a autora de jogo mais superestimada da história, só porque emplacou um ÚNICO e unitário sucesso e nunca mais fez nada que prestasse, o pessoal já pagou pal booter.

Quanto a história (dessa vez não quero crase, sou eshtudante), é o seguinte:

Uma jovem gótica que pratica a mágica de rua tipo o david blane só que pior chega em oxford e vai parar na mansão de um doutor milionário e bonitão, com um passado trágico que o tornou durão e melancólico, mas com o tempo ela vai conseguir consertá-lo e ele vai aprender a amá-la.

Sério.

Imagine um jogo da sierra escrito pela Danielle Steel. É isso. Mas... também poderia ser um romance histórico da Barbara Cartland. Ou Nora Roberts ae. Ou tudo isso JUNTO. E contém diversas citações sagazes a eventos históricos, como a filmagem do filme Harry Potter. REQUEREU, por assim dizer, BASTISSIMA pesquisa histórica.

A protagonista gótica, então, vai fazer o público alvo se identificar TOTAL.

Vamos a um resumo msx micro para concluir com chave de ouro:

"Experimente! Se você for uma gordinha gótica, quem sabe pode até gostar?"


ps: em certos CAPÍTULOS da história se pode jogar com o HOMEM, eu sei, mas mesmo assim não tem como o adventure ser mais mulherzinha. gorda. gótica.


mais palavras de sabedoria: It has to be dark, because adventure games are played by women now, and chicks are soooo into vampires and werewolves.


agora cantem comigo:

Fury in my eyes, sword on my side

Escape death to become immortalized

Afro on my head, the black Samurai

Number One, I bring a whole nation alive

I'm the leader of the Clan, you can tell from the headband