Pesquisa
avançada
12787 joguetes

Antarctic Adventure

Aventura na Antártica [J09]

  • MSX
  • 1Q84
  • Cartucho
  • RC701
  • 1
  • FMSX
  • antartic.zip
  • pinguim e a foca shmu

  • cheguei! agora me felem!

  • fase 2

  • a caixa brasileira era igual só com sharp

  • no lugar de konami

  • bau nos alpes suiços

Pinguim anda pela antartica visitando estações de pesquisa de diversos países para ouvir seus hinos. Um grande sucesso do msx.


Convém visitar o site do Ric"Minhocão Braxxi"bit para maiores informações sobre esta obra. Se não quiserem visitar (o endereço é http://www.700km.com.br/mundobizarro/ ) ou se esse servidor podre dele estiver fora do ar, vou LHES guiar por uma cópia das informações disponíveis lá:


"Originalmente lançado para Arcade, foi depois convertido para outras plataformas como Colecovision, MSX e NES. O objetivo é guiar o pingüim em uma volta ao redor da Antártida, sendo que, ao final de cada fase, ele é saudado com a bandeira de um país."


Sim, como vocês podem ver, o RicBit RESUMIU o jogo de forma MAGISTRAAAUUUU. Alguém já viu a versão arcade? Eu queria ver.


"Pela ordem, os países são:


1. Austrália

2. Austrália

3. França

4. Nova Zelândia

5. Pólo Sul (com a bandeira do pingüim)

6. Estados Unidos

7. Estados Unidos

8. Argentina

9. Reino Unido

10. Japão


Quando criança, eu achava que esses países foram escolhidos arbitrariamente. Entretanto, existe uma lógica na seqüência!"


Esse RicBit... É um fanfarrão. A Konami nunca ia escolher arbitrariamente a ordem dos países num jogo (VIDE F1 Spirit que começa em JACAREPAGUA).


"Na verdade, os finais de fase indicam a posição real de bases científicas existentes na Antártida."


E neste ponto ele colou um mapa das bases no site, visitem, visitem.


" Comparando o mapa do jogo com o mapa real, é possível determinar exatamente quais são as bases que o pingüim visita:


1. Austrália: base Davis

2. Austrália: base Casey

3. França: base Dumont D'Urville

4. Nova Zelândia: base Scott

5. Pólo Sul: base internacional de Amundsen-Scott

6. Estados Unidos: base Byrd

7. Estados Unidos: ?

8. Argentina: base General Belgrano II

9. Reino Unido: base Halley

10. Japão: base Showa"


"Após conferir o mapa, surge uma dúvida: se o jogo é tão preciso na localização das bases, então por que ele indica uma base americana, na fase 7, onde não há nenhuma?


A solução pra isso só é conseguida ao notar que Antarctic adventure foi feito em 1984. De fato, não tem nenhuma base ali atualmente, mas naquela época tinha!


De acordo com a tabela de bases científicas na Antártida, existiu uma base americana chamada "Siple Station", nas coordenadas 75.55S, 85.55W. Essas coordenadas batem corretamente com a posição da fase 7 no jogo, e a base esteve ativa no período de 1969 até 1988, estando ativa, portanto, na época em que o jogo foi feito."


Agora RICBIT vai discorrer sobre a música. Preparem-se.


"Outro fato desconhecido por mim, quando criança, era a origem da música de fundo do jogo. Eu achava se que tratava de composição original da Konami, e não podia estar mais enganado! Na verdade, a música de Antartic adventure é uma valsa composta por Émile Waudteufel no século 19.

les patineurs


Waudteufel foi um músico francês, nascido em família de dançarinos. Durante o rigoroso inverno de Paris de 1879, quando a temperatura foi a 25.6 graus negativos, e os rios ficaram completamente congelados, o passatempo preferido da população era a patinação no gelo.


Inspirado neste cenário, Waudteufel compôs a Valsa dos Patinadores (Les Patineurs). A melodia, dividida em três movimentos, tem um total de sete minutos e meio, dos quais apenas um pequeno trecho do tema principal é apresentado no jogo. Esse tema apresenta uma interpretação para os patinadores que, após ganhar confiança em deslizar pelo gelo, aventuram-se em complicados saltos acrobáticos. Nada mais apropriado como tema do pingüim!"


Se não me engano ele fala também sobre as alterações de uma versão pra outra do jogo e sempre lembra que PENTARO de cu é rola. O nome do boneco é PINGUIM.


Chegou a ser vendido no Brasil com o sensacional nome traduzido "Aventura na Antártica". Quem diria? Esses tradutores devem estar ficando loucos.